Apicultura: uma fonte de renda na agricultura familiar

Em um primeiro momento quando pensamos em abelhas, a primeira coisa que vem em nossa mente é o mel. Mas, você sabia que as abelhas são as responsáveis por manter nossa biodiversidade viva?

Pois é, as abelhas respondem por cerca de 80% da polinização das plantas cultivadas, principalmente para a alimentação. Sem as abelhas, muito possivelmente não teríamos alimentos, assim como a degradação da natureza teria proporções muito maiores.

Atualmente, há um aumento na procura pela apicultura, não só pela renda. Agricultores têm buscado a atividade como forma de melhorar seus pastos e cultivo de culturas, a partir da polinização. Além disso, também há uma melhora na preservação de rios e nascentes próximos às lavouras, devido a criação de abelhas.

Como você pode perceber, a abelha tem um papel extremamente importante em nosso ecossistema. Ao mesmo tempo, com a apicultura é possível se ter uma boa fonte de renda e ainda melhorar o cultivo de outras lavouras.

Neste post, vamos te mostrar como a apicultura pode ser uma boa fonte de renda na agricultura familiar. Acompanhe!



O que é apicultura?


A apicultura é umas das atividades mais antigas do mundo. Há registros de que o homem conhece a abelha e seus produtos há milênios. Além disso, existem informações do manejo de abelhas do Egito, Mesopotâmia e Grécia.

Porém, por muito tempo a exploração da apicultura foi feita de forma muito rudimentar, fazendo com que, por exemplo, enxames inteiros fossem destruídos na colheita do mel. Assim, os mesmos precisavam ser refeitos a cada ano.

Sendo assim, a apicultura se define na criação de abelhas com ferrão, com o objetivo de produzir mel, geleia real, própolis, pólen e cera.

A atividade acabou se tornando uma boa opção de renda para agricultores rurais. Isso porque, a apicultura não exige grandes espaços de terra assim como investimento. Ao mesmo tempo, o retorno do valor investido é muito rápido.




Mercado nacional e internacional


No Brasil, o consumo do mel ainda é muito baixo, pois no país se entende que o mel e seus derivados são remédio e não alimento. Isso se deve a todos os benefícios dos produtos vindos das abelhas.

Existem diversos estudos sobre como o mel e o própolis podem ajudar a prevenir doenças e fortalecer o sistema imunológico. Porém, essa visão é muito diferente em terras americanas e europeias. Nesses países, o mel principalmente, é considerado como um alimento e o consumo é relativamente grande.

Enquanto cada europeu consome 1,5 kg de mel, entre os brasileiros o consumo não ultrapassa 100 gramas. No Brasil, o produto é mais utilizado e conhecido in natura e é muito utilizado pelas empresas de cosméticos. Muitos produtos como cremes hidratantes e máscaras faciais, possuem mel em sua fórmula.

Como o mel brasileiro e seus derivados são considerados entre os mais puros do mundo, ele tem muita aceitação no exterior.

Para se ter uma ideia, em 2017, foram exportadas cerca de 21 mil toneladas de mel. Dessa forma, o faturamento foi de 93,4 milhões de dólares, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Em Minas Gerais, a própolis verde, chega a atingir mais de US$ 100 por quilo, enquanto o mel in natura recebe, em média, US$ 4 por quilo.

Esses dados mostram o quanto a atividade pode ser rentável e uma boa fonte de renda para agricultores. Principalmente em períodos de estiagem ou mesmo entressafra.




O que é preciso para investir na apicultura?


Muita gente teme em possuir apiários, por causa das picadas das abelhas. Mas, isso só acontece ela se sente ameaçada e tenta se defender, assim como seu enxame.

Porém, seguindo as boas práticas de manejo, isso é bem difícil de acontecer. Um dos pontos importantes antes de trabalhar com as abelhas, é investir em capacitação. Existem diversos cursos na internet muito simples e didáticos sobre a atividade. Além disso, o próprio Sebrae pode auxiliar e muito nesse processo.

Como vimos anteriormente, a atividade tem um custo baixo e um bom retorno. Normalmente, os materiais que são adquiridos no começo da atividade também duram um bom tempo e possuem um preço atrativo.

Alguns dos materiais para começar a ter seus próprios apiários são:

Colmeia e quadro de colmeia;

Abelhas (sim, existem abelhas para se comprar, assim como as rainhas);

Vestimenta apropriada (é um macacão fechado, que possui máscara e chapéu);

Faca para destampar os alvéolos;

Centrífuga (ela serve para tirar o mel dos favos);

Espanador (serve para tirar o quadro das colmeias sem machucá-los);

Formão para apicultor (ele serve para abrir a colmeia, pois normalmente as abelhas a vedam com própolis, para que não entre invasores);

Fumegador (sempre antes de abrir as colmeias é necessário aplicar um pouco de fumaça, com o objetivo de amenizar a agressividade das abelhas);

Com esses materiais, é possível começar a criar o apiário e manejar as abelhas de forma correta. Além disso, se consegue obter o máximo do produto para venda.


Dicas para ter uma boa produtividade


O bom manejo das colmeias é o que vai definir a produtividade que terão, logo seu lucro com a venda de mel e seus produtos.

Desta forma, existem diversas recomendações feitas por apicultores, estudiosos e associações sobre o manejo das abelhas e apiários. Confira algumas dicas:

Sempre tenha definido uma programação anual de manejo;

É de extrema importância que você prepare as colmeias antes do início da florada;

Mesmo que a produção seja pouca, sempre mantenha as colmeias preparadas para alta produção;

Sempre deixe em suas colmeias rainhas selecionadas. Quanto mais saudável ela for, mais chances da colmeia produzir mais;

Cerca de 50 dias antes da florada, comece a estimular as abelhas com suplementação;

Sempre fique de olho na ampliação do espaço das colmeias ao estimular seu crescimento. Assim você evita que elas enxameiem;

É importante que durante a florada você revise todas as colmeias a cada semana;

É ideal que os registros de produção sejam feitos por apiário, assim é mais fácil ter noção da produção de cada colmeia;

Para registrar o comportamento das colmeias, use a seu favor os vídeos e fotografias.

Com essas dicas e também as informações dos materiais que são necessários para começar a investir na apicultura, fica um pouco mais fácil dar o primeiro passo.

A principal dica é: procure instrução e uma boa área para começar o negócio. Se sua porção de terra não permite isso, procure por fazendas que possuem áreas de arrendamento florestal. Esses locais normalmente possuem estrutura ou uma boa área para iniciar a atividade.

Quer receber mais conteúdos como esse? Então, assine a nossa newsletter :)

172 visualizações

Estrada Coronel Cardosos s/n°

Conservatória/Valença- Rio de Janeiro

Siga-nos

 

  • Face Fazenda São Fernando
  • Instagram FSF
  • apple-touch-icon
  • @fazsao_fernando
  • Branca Ícone LinkedIn

Menu

Receba as nossas novidades

  • Facebook FSF
  • Instagram FSF
  • @fazsao_fernando
  • Branca Ícone LinkedIn