Conheça as principais linhas de crédito para pequenos agricultores

Uma das mais importantes atividades econômicas do país é a agropecuária. Ela é um dos fatores que impulsionam o Produto Interno Bruto (PIB), gera renda e até maior sustentabilidade para o Brasil.


Mas, para que os agricultores de pequeno até grande porte tenham sucesso com suas lavouras, é preciso investimento. Na maioria dos casos, os próprios ganhos com a atividade não a custeiam. Dessa forma, o produtor rural vai em busca de créditos e incentivos para expandir, assim como modernizar seu negócio.


Com o aumento do incentivo do governo, assim como das linhas de crédito com juros baixo, o agricultor tem cada vez mais opções de financiamento. Além disso, é muito mais fácil e rápido obter um crédito rural, pois existem linhas especiais para cada tipo de empreendimento.


Ao mesmo tempo, o agricultor ainda pode contar com o apoio de cooperativas ou mesmo do Sebrae. Essas instituições o ajudam a entender melhor as condições dos financiamentos, termos, condições e documentação necessária para captar fundos para seu negócio.


Neste post, vamos te ajudar a entender melhor o que é o crédito rural e principalmente porque ele é tão importante para o agricultor. Acompanhe!



O que é crédito rural?


O crédito rural ou agrícola é um modelo de financiamento voltado para negócios do campo. Ele possui características bem específicas, que atendem o produtor rural de diversas maneiras, independente de seu porte. Elas são baseadas no tipo de produção, plantio, colheita, assim como a comercialização do produto.


Esse financeiro é responsável por ajudar o produtor rural, de forma estratégica, a financiar sua operação, investir em novas máquinas, comprar lotes de terra, entre outros fatores.


O crédito agrícola foi institucionalizado no país pela Lei 4.829/1965 e opera conforme as situações abaixo:


  • análise, origem e quantia de recursos que devem ser aplicados para cada modelo de negócio;

  • diretrizes sobre a aplicação e controle de valores do financiamento;

  • critérios seletivos e prioritários para a distribuição do crédito;

  • fixação e ampliação dos programas de crédito agropecuário, como o refinanciamento, por exemplo.


Todo o financiamento para o setor agropecuário é segurado pelo Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), a partir da Lei 4.595/1964. Sendo assim, os principais operadores das linhas de crédito são os bancos e as cooperativas de crédito.

Qual a importância do crédito rural?


As linhas de crédito rural mostram sua importância a partir do quão relevante é a atividade agrícola e pecuária no país. Em 2017, sua participação no PIB foi de 24%, puxando o índice para cima, em relação ao demais setores que tiveram números negativos no período.


Isso mostra, que a concessão de crédito se torna cada vez mais fundamental para que a atividade continue se desenvolvendo. Com isso, o país ganha em desenvolvimento, geração de emprego, crescimento da economia, entre outros fatores.


Um dos maiores programas de incentivo do governo, o Plano Safra terá R$ 222,74 bilhões em crédito na temporada 2019/2020. O plano se refere ao crédito necessário para o agricultor investir e custear a produção.


O Plano Safra tem sempre a vigência de julho a junho do ano seguinte, período que reflete o calendário da safra agrícola no Brasil. Esta é considerada a principal fonte de incentivo ao produtor rural brasileiro, que contém:


  • serviços de assistência técnica e extensão rural;

  • crédito;

  • seguro da produção e garantia de preços;

  • comercialização;

  • organização da economia das famílias do campo.



Quais os tipos de créditos existentes?


São três o tipos de créditos agrícolas existentes. Conheça melhor cada um abaixo:


Crédito de custeio


Essa modalidade de financiamento é destinada para o custeio das despesas relacionadas ao ciclo produtivo do produtor. Sendo assim, ele pode ser usado para: compra de insumos, nos processos de beneficiamento primário para produção, para cobrir custos relacionados à colheita, extração e industrialização de produtos agropecuários, entre outros.


Uma das linhas indicadas neste formato é o Pronaf Custeio. O programa tem como objetivo

ajudar o produtor rural a financiar atividades agropecuárias, de beneficiamento, de industrialização ou comercialização, tanto da sua própria produção quanto de terceiros também enquadrados no Pronaf.



Crédito de investimento


Este tipo de crédito é voltado para melhorar a competitividade do agricultor, assim como para o aumento de sua produção. Dessa forma, o valor financiado deve ser usado para: reformas, construções, compra de equipamento e maquinários, obras e estruturação da lavoura no geral, entre outros.


Uma das linhas de crédito de investimento é o Pronaf Mais Alimentos - Investimento. Seu objetivo é a ampliação e modernização da infraestrutura da propriedade para aprimorar a produção e serviços, ou de áreas comunitárias locais.



Crédito de comercialização


Nesta linha de crédito, seu objetivo é que o produtor tenha todos os recursos e condições para vender seus produtos. O financiamento deve ser usado para: processos de armazenamento e estocagem da colheita, garantia de preços e processos de pré-comercialização.


Um exemplo de crédito neste caso é o Pronaf Custeio e Comercialização de Agroindústrias Familiares. Ele é um subprograma criado para financiar os custos de beneficiamento e industrialização da produção própria ou de terceiros.



Como solicitar crédito?


Como todo financiamento, para que o produtor rural consiga uma linha de crédito para seu negócio, é preciso cumprir alguns requisitos como:


apresentar ao banco ou cooperativa um plano simples, orçamento ou projeto técnico;

um cronograma de uso do dinheiro e como pretende pagar o financiamento;

estar atento às restrições das zonas agroecológicas ou ecológico-econômico;

fiscalização pelo financiador.


O ideal antes de solicitar o crédito ao banco ou cooperativa, é se informar de toda a documentação necessária para o processo. Assim, não se perde tempo com as burocracias e o financiamento pode ser finalizado muito mais rápido.



Benefícios do crédito rural


O produtor rural tem inúmeras vantagens em relação ao crédito agrícola. Para começar, a taxa de juros é bem reduzida. Ela pode ter a variação de 0,5% a 10,5% ao ano. Além disso, o empreendedor rural ainda pode conseguir redução de serviços e tarifas.


Ao mesmo tempo, os recursos são destinados para determinadas finalidades. Existem financiamentos apenas para compras de maquinários, insumos agrícolas, investimento em tecnologia, entre outros.


Os prazos de pagamento também são facilitados, de acordo com a modalidade de custeio. Normalmente, pelos bancos e cooperativas, o prazo é de 1 a 2 anos, mas financiamentos do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), o prazo pode ser de até 10 anos.


O valor a ser financiado também é adequado à necessidade do agricultor. Ou seja, o valor disponibilizado varia conforme a produção prevista, capacidade de pagamento do financiamento, viabilidade econômica, assim como outros fatores.


Esperamos ter ajudado você a entender melhor como funciona o crédito rural.


Se você busca por uma nova oportunidade de empreender no meio rural, confira todas as possibilidades em nossa fazenda.







0 visualização

Estrada Coronel Cardosos s/n°

Conservatória/Valença- Rio de Janeiro

Siga-nos

 

  • Face Fazenda São Fernando
  • Instagram FSF
  • apple-touch-icon
  • @fazsao_fernando
  • Branca Ícone LinkedIn

Menu

Receba as nossas novidades

  • Facebook FSF
  • Instagram FSF
  • @fazsao_fernando
  • Branca Ícone LinkedIn